quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017


As cozinhas são grandes consumidoras de energia. Ou seja, vale a pena dedicar um tempo à avaliação ­de sua rotina na cozinha e fazer algumas mudanças.

Geladeiras e freezers consomem muita energia. Por isso, na hora de comprar esses eletrodomésticos, escolha modelos econômicos. Isto lhe garantirá uma redução dos gastos a longo prazo.

1. Não mantenha uma geladeira velha de reserva a não ser que realmente precise dela. Os modelos antigos costumam gastar mais energia que os novos.

2. Ponha sua geladeira numa área fresca, longe de aparelhos que geram calor. Deixe um espaço de pelo menos 8 cm para as serpentinas na parte de trás da geladeira. A falta de espaço ou ventilação pode reduzir a eficiência em até 15%.

3. Não ajuste o termostato para uma temperatura muito baixa. O nível ideal para a geladeira é 3ºC ou 4ºC e para o freezer, -18ºC a -15ºC. Cada redução de 1ºC pode aumentar o consumo de energia em 5%.

4. Abra a porta o menos possível. Para cada minuto com a porta aberta, a geladeira leva três minutos para retornar à temperatura ideal.

5. Mantenha pelo menos dois terços do espaço da geladeira ocupado. Os alimentos retêm o frio melhor que o ar. Vazia, a geladeira precisa de mais energia.

6. Verifique regularmente as vedações. Para isso, feche a porta sobre uma folha de papel. Se conseguir puxar o papel com facilidade, é preciso apertar as dobradiças ou substituir as borrachas.

7. Degele o freezer a cada três meses, se o aparelho não tiver degelo automático. Nunca deixe uma camada de gelo superior a 5 mm.

8. Limpe anualmente as serpentinas na parte traseira para garantir um funcionamento adequado.

9. Caso se ausente por um longo período, esvazie a geladeira, desligue-a e deixe a porta aberta.

10. Tem que haver senso também na hora de comprar fogões e fornos. É preciso seguir alguns critérios para fazer uma escolha ecologicamente correta.

11. Não compre um aparelho maior do que o necessário. Em geral, quanto maior, mais energia utilizará.

12. Escolha um fogão com bocas de diferentes tamanhos, o que ajuda a controlar a energia utilizada.

13. Se decidir comprar fogão elétrico, lembre-se de que espirais tendem a ser mais baratas e eficientes do que placas sólidas ou de cerâmica.

14. Se optar pela eletricidade, considere usar placas de indução, que são 30% mais eficientes que as tradicionais. Cada placa de indução tem uma chave e uma espiral indutora eletromagnética. Quando uma panela é colocada sobre a placa, cria-se um campo magnético, que aquece a panela, mas não o fogão. O desperdício é pequeno, e o controle da temperatura é mais preciso.

Fonte: www.organizesuavida.com.br. 

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016


Muita gente acha que colocar simplesmente o alimento dentro da geladeira já significa que ele será conservado por muito tempo. Entretanto, ao abrir a geladeira um ou dois dias depois se deparam com uma surpresa: o alimento está estragado. 
Logo vêm as dúvidas: O que será que aconteceu? Será que a geladeira está estragada? Possibilidades nestas horas são muitas, mas quase ninguém imagina que o alimento estragado pode ser resultado de uma má conservação, mesmo quando acondicionado em geladeira.

De acordo com Fabrício Silvério Flauzino, responsável técnico do Laboratório de Ensaios em Alimentos e Meio Ambiente do SENAI, ligado à Fiemg Regional Vale do Paranaíba, cada alimento deve ser mantido na geladeira de forma diferenciada, de acordo com cada tipo, ou seja, preparados ou in natura.

No caso de frutas e verduras é sempre bom verificar as condições dos mesmos. "Existem vegetais que podem ser mantidos na geladeira por um bom tempo e outros que não podem. Por exemplo, a banana, quando mantida dentro da geladeira por um bom período de tempo, começa a apresentar um escurecimento de sua casca, e logo a seguir se inicia o processo de apodrecimento.

Geralmente frutas que possuem casca fina, como a acerola e a jabuticaba, não duram muito tempo e, devem ser consumidas preferencialmente de um dia para o outro. Fazer a higienização da casca antes do armazenamento também pode contribuir para uma maior conservação", afirma Fabrício.

Temperatura

É importante também verificar a temperatura de preservação dos alimentos, evitando deixar os alimentos mais perecíveis na porta da geladeira. "Os alimentos acondicionados nas extremidades da porta perdem as suas características originais mais rápido. Isto ocorre porque essa região é a que recebe a maior variação de temperatura, por isso é sempre importante manter alimentos mais perecíveis no interior da geladeira. Todos os alimentos devem ser acondicionados em recipientes apropriados, fechados e posicionados no fundo da geladeira", completa Flauzino.

Embalagens a vácuo

Elas são uma alternativa para conservar alimentos na geladeira por mais tempo, pois impedem o contato direto do mesmo com o oxigênio, um dos principais fatores que influenciam para a alteração e degradação dos alimentos. Se o alimento for mantido em uma embalagem a vácuo e colocado dentro do refrigerador, a capacidade de conservação se torna ainda maior.

Dica para verduras e frutas durarem mais

Para conservar por mais tempo, deixe-as de molho numa tigela com água e sal.
Além de lavar, o sal desinfeta naturalmente.
Depois seque-as e coloque na gaveta da geladeira, forrada com papel toalha.

www.organizesuavida.com.br. 

quinta-feira, 17 de novembro de 2016


É pai ou mãe de primeira viagem? Não se preocupe. Sabemos que você precisa de conselhos práticos para ajudá-lo a proteger seus filhos dos riscos de saúde desse mundo, muitas vezes ligados a substâncias químicas tóxicas encontradas dentro e ao redor de sua casa.
Especialistas ambientais e de saúde canadenses emitiram hoje uma lista das melhores maneiras de reduzir cinco fontes comuns de toxinas associadas com riscos para a saúde de crianças. Confira:

1 – Se livre do pó

“A poeira doméstica é a principal fonte de exposição da criança a substâncias tóxicas como chumbo, que, mesmo em níveis muito baixos, é conhecido por ser prejudicial ao cérebro em desenvolvimento”, disse Bruce Lanphear, especialista em saúde ambiental.
A poeira doméstica pode ser mantida à distância com um aspirador ou pano úmido, que têm que ser passados semanalmente na casa. É recomendado limpeza duas vezes por semana se você tiver uma criança engatinhando. Apenas varrer não é muito aconselhável porque circula o pó de volta para o ar.
Além disso, tirar seus sapatos na porta irá minimizar a quantidade de sujeira e produtos químicos potencialmente perigosos que você traz da rua. Livrar-se da desorganização e armazenar brinquedos em recipientes fechados também ajuda a reduzir os níveis de poeira.

2 – Produtos de limpeza ecológicos

Os especialistas recomendam que você mude para produtos de limpeza simples e não tóxicos. Bicarbonato de sódio pode ser usado para esfregar pias e banheiras, enquanto vinagre misturado com água funciona bem para a maioria das superfícies, incluindo janelas e pisos.
Os pesquisadores afirmam que água sanitária não é necessária para a maioria das tarefas de limpeza, e que purificadores de ar devem ser evitados. Para roupa, escolha detergentes sem perfume e evite usar secador, porque as fragrâncias dos produtos podem conter substâncias químicas potencialmente prejudiciais. Se quiser fazer “lavagem a seco”, procure um local que use métodos não tóxicos.

3 – Mantenha reformas sob controle

Projetos de renovação representam uma ameaça para crianças e mulheres grávidas, com poeira contaminante e vapores tóxicos de tintas, colas e etc., que podem causar danos neurológicos.
Todas as áreas de reforma devem ser isoladas do resto da casa através de plástico e fita adesiva, e aberturas de aquecimento e arrefecimento devem ser fechadas. Controlar a poeira é especialmente importante em casas construídas antes de 1978, porque sua poeira de reforma pode conter níveis elevados de chumbo.
As crianças e mulheres grávidas devem ficar longe de qualquer área de reforma para evitar a exposição a substâncias potencialmente nocivas. Se você está pintando, selecione tintas menos tóxicas, o mesmo para acabamentos e colas, comprando produtos rotulados como “sem VOC” ou com “baixo VOC”.

4 – Cuidado com plástico

Ignore rótulos que dizem que eles podem ir para o micro-ondas. Nunca coloque recipientes de plástico ou filme plástico no micro-ondas, pois eles podem passar substâncias químicas nocivas para alimentos e bebidas.
Os alimentos devem ser armazenados em recipientes de vidro ou de cerâmica ao invés de plástico, e os consumidores devem tentar comer alimentos frescos e congelados sempre que possível, para reduzir sua exposição ao bisfenol-A (BPA), produto químico usado em latas de comida e bebida. O BPA tem sido associado a uma ampla gama de potenciais efeitos na saúde, incluindo efeitos sobre o cérebro em desenvolvimento e perturbações das funções hormonais.
Também evite a compra de brinquedos, babadores, cortinas de chuveiro e outros itens que contenham PVC, um tipo de plástico macio comumente conhecido como vinil. Esses itens podem conter substâncias químicas nocivas, que foram proibidas de serem utilizadas em brinquedos em junho desse ano. Os especialistas aconselham o descarte de brinquedos velhos e mordedores feitos desse plástico.

5 – Diminua o mercúrio

O mercúrio, um metal que é tóxico para o cérebro, é encontrado em determinados tipos de peixe e marisco, incluindo atum e espadarte. Especialistas recomendam a escolha de peixes com pouco mercúrio, tais como cavala, arenque, truta-arco-íris, salmão (tanto selvagem quanto enlatado) e tilápia. As variedades de atum em conserva são mais baixas em mercúrio do que albacora ou atum-branco.
O Departamento de Agricultura dos EUA afirma que mulheres grávidas, mulheres que podem ficar grávidas, mulheres amamentando e crianças pequenas podem comer até 373 gramas de peixes com pouco mercúrio por semana.
Especialistas recomendam que você pergunte as autoridades locais se é seguro comer peixes capturados pela sua família e amigos em lagos, rios e zonas costeiras.


sexta-feira, 11 de novembro de 2016



1. Carteira de Trabalho e Previdência Social
2. Salário
2.1. Salário Mínimo
2.2. Irredutibilidade salarial
2.3. Isonomia salarial
2.4. Proibição de práticas discriminatórias
3. 13º (décimo terceiro) salário
4. Remuneração do trabalho noturno
5. Jornada de trabalho
5.1. Remuneração do serviço extraordinário
6. Repouso semanal remunerado
7. Feriados civis e religiosos
8. Férias
9. Vale-transporte
10. Aviso-prévio
11. Relação de emprego protegida contra despedida arbitrária ou sem justa causa
12. Fundo de Garantia do Tempo de Serviço
13. Seguro-desemprego
14. Proibição de trabalho noturno, perigoso ou insalubre a menores de 18 anos
15. Reconhecimento das convenções coletivas e acordos coletivos de trabalho
16. Assistência gratuita aos filhos e dependentes
17. Redução dos riscos inerentes ao trabalho
18. Integração à Previdência Social
19. Estabilidade no emprego em razão da gravidez
20. Licença à gestante
21. Licença paternidade
22. Salário-família
23. Auxílio-doença
24. Seguro contra acidentes de trabalho
25. Aposentadoria

terça-feira, 8 de novembro de 2016

Considera-se empregado(a) doméstico(a) aquele(a) maior de 18 (dezoito) anos que presta serviços de natureza contínua (frequente, constante), subordinada, onerosa e pessoal e de finalidade não lucrativa à pessoa ou à família, no âmbito residencial destas, por mais de 2 (dois) dias por semana.

Assim, o traço diferenciador do emprego doméstico é o caráter não-econômico da atividade exercida no âmbito residencial do(a) empregador(a). 

Nesses termos, integram a categoria os(as) seguintes trabalhadores(as): 
  • cozinheiro(a), 
  • governanta, 
  • mordomo, 
  • babá, 
  • lavador,
  • lavadeira, 
  • faxineiro(a), 
  • vigia, 
  • piloto particular de avião e helicóptero, 
  • motorista particular, 
  • jardineiro(a), 
  • acompanhante de idosos(as), entre outras. 
  • O(a) caseiro(a) também é considerado(a) empregado(a) doméstico(a) quando o local onde exerce a sua atividade não possui finalidade lucrativa.
Como a lei definiu que o empregador doméstico é a pessoa ou a família, há casos em que será necessário substituir o responsável pelo contrato de trabalho. É o caso, por exemplo, de uma empregada doméstica que está registrada por um dos entes da família que vem a falecer ou afastar-se do ambiente familiar – mas ela continua prestando serviços para a mesma família. Nesse caso, será necessário substituir o responsável pelo contrato de trabalho, sem alteração das demais condições pactuadas. Os procedimentos para essa substituição são feitos no aplicativo do Empregador Doméstico, que está disponível no sítio eletrônico do eSocial.

Além disso, devem ser feitas anotações na CTPS do empregado, informando a substituição do responsável pelo contrato de trabalho.

Ministério do Trabalho e Previdência Social

Considera-se empregador(a) doméstico(a) a pessoa física ou família que admite a seu serviço, sem finalidade lucrativa, empregado(a) doméstico(a).

Obrigações do(a) Empregador(a)

Informar aos órgãos governamentais a ocorrência de admissão, dispensa, alterações cadastrais e contratuais, afastamentos temporários, aviso prévio etc, relativos ao(à) empregado(a) doméstico(a).
Anotar a Carteira de Trabalho do(a) empregado(a), devolvendo-a, devidamente assinada, no prazo de 48 (quarenta e oito) horas. 

Deverão ser anotados: data de admissão, cargo ou função, salário contratado, férias, data de desligamento do emprego e celebração de contrato por prazo determinado, se for o caso.

Exigir do(a) empregado(a) doméstico(a) o comprovante de inscrição no NIS - Número de Inscrição do Segurado, que pode ser a inscrição no PIS, PASEP, NIT - Número de Inscrição do Trabalhado no INSS, ou Número de cadastro em programas sociais do Governo Federal. 

Caso o(a) empregado(a) doméstico(a) não tenha nenhuma das inscrições acima, o(a) empregador(a)
deverá providenciar a inscrição do(a) empregado(a) no NIT. Esse cadastramento é feito pela internet, no endereço:
www.previdencia.gov.br.

Preencher devidamente os recibos de pagamento dos salários, inclusive adiantamentos, sejam mensais ou semanais, solicitando assinatura do(a) empregado(a) no ato do pagamento, o qual deverá
ser feito, o mais tardar, até o 5º dia útil do mês subsequente ao vencido (artigo 459, § 1º, CLT). 

Quando a admissão ocorrer no curso do mês, efetua-se o pagamento proporcional aos dias trabalhados, no prazo referido, tomando-se os meses seguintes por inteiro.

Fornecer ao(a) empregado(a) via do documento único de arrecadação e do recibo de pagamento mensal dos salários.
A emissão dos recibos de pagamentos mensais, bem como do relativo à remuneração de férias, do décimo-terceiro salário e ao termo de rescisão de contrato de trabalho pode ser feita mediante a utilização do Módulo do Empregador Doméstico, disponível no Portal do eSocial: 
www.esocial.gov.br.





Dentre os vários tipos de arroz, podemos encontrar: 


  • arroz selvagem, 
  • integral,
  • cateto, 
  • agulha, 
  • arbóreo, 
  • japonês; 
classificados de acordo com sua integridade e característica do grão (curto ou longo), como 

  • tipo 01 (com menor porcentagem de grãos quebrados), 
  • tipo 02 (com maior porcentagem de grãos quebrados),
  • polidos, 
  • parboilizado, etc.

Integral / Marrom: 
Grãos descascados com embrião intacto; grão longo, médio ou curto;
Acompanhamento, saladas, outros.

Branco 
Grãos polidos, longos ou curtos
Acompanhamento, pudins, arroz de forno, outros.

Basmati 
Grãos longos extra, polidos e delicados.
Acompanhamento.

Arbóreo
Grão curto polido, com grande teor de amido.
Risoto.

Glutinoso / Japonês 
Grão curto e redondo, com enorme teor de amido.
Sushi e outros pratos orientais

Selvagem 
Grão marrom escuro longo
Saladas, recheios, outros.

Curso de Aprimoramento Profissional em Cozinha Doméstica - ABAST

Blog

A Empregada Doméstica - Contratação Empregada Doméstica

Translate

Contrate Domésticas

BLOGS BRASIL

Arquivos do Blog

Tecnologia do Blogger.

Follow by Email

Postagens Populares

Contato

foxyform